Cartas


Vou te escrever cartas com todo meu afeto e amor, então não as despreze, não as veja apenas como rabiscos em uma folha de papel, porque quando escrevo quero eternizar aquele momento, aquele sentimento, para que no futuro, se em algum momento nos esquecermos do que foi bom no passado, voltemos até aquelas palavras e nos encontremos de novo.
Afinal, o amor é misterioso, ele pode queimar como brasa e depois se apagar para sempre, mas eu quero que esse amor queime todos os dias, e as palavras cultivarão esse calor, essa paixão. Por isso, guarde-as como se fossem tesouros, em um lugar muito seguro, mas guarde-as também em seu coração, para que se lembre delas quando suas mãos não puderem alcançá-las.
Vou te escrever cartas, porque é assim que eu digo “eu te amo”, não aprendi a demonstrar afeto com facilidade, e meu medo de perder-te sempre me fará recuar um passo. Então, receba-as como se ouvisse doces sussurros de amor ao seu ouvido, receba-as como se eu delicadamente desenhasse asas vivas em suas costas.
Eu escrevo cartas para acreditar que histórias de amor não sejam felizes apenas nos livros, porque se sou capaz de fazer histórias em que personagens se amam tão profundamente é porque um sentimento assim existe, em algum lugar, talvez bem lá no fundo de nossas almas, então é preciso cavar, cavar muito profundamente para alcançar um rio dourado de sentimentos.
Então, meu amor, se receber meu tesouro banhado de sentimentos, não faça com que sejam jogados ao rio, não faça com que se percam no mais profundo abismo, pois assim como a frase “fadas não existem” pode matar fadas na Terra do Nunca, toda vez que minhas cartas são abandonadas, morre um pedaço de mim.

Texto de: Luana T. Araújo
(Não reposte sem os devidos créditos)

Jardim de Rosas Azuis




“O mundo inteiro gira ao meu redor e eu estou sozinha, perdida em uma realidade obscura, consigo ver e ouvir, mas não consigo alcançar minha vida, estou em uma espécie de coma, nada que eu faça pode me tirar daqui, dessa prisão sem grandes, desse peso sobre minhas pernas, que também esmaga meu peito.
Fecho os olhos e desejo sonhar neste momento, sonhar com o jardim de rosas azuis...”

É assim que termina o primeiro capítulo do meu novo romance, uma história que fala sobre a força do amor e sobre superação. Dois personagens complexos, com suas conquistas e derrotas, que buscam um equilíbrio para suas vidas que passam por momentos conturbados.

Inah era muito independente e teve toda sua liberdade tirada dela depois de um acidente que a deixou sem os movimentos das pernas, e Miguel tem um passado de culpa e perdas, desde pequeno sofreu com o peso das palavras de sua avó e na juventude os traumas só se intensificaram, na fase adulta encontra na bebida uma forma de fugir da tormenta, mas o que realmente o deixa bem são as rosas azuis que cultiva na floricultura que tem com o pai. As rosas azuis visitam constantemente os sonhos de Inah desde o dia do acidente, e tudo parece relacionado quando ela descobre que seus sonhos são uma mensagem do inconsciente sobre uma ligação profunda com outra pessoa.

Em meio as dúvidas sobre os sentimentos, os conflitos com relação ao passado e pessoas que contribuem positiva e negativamente para que Miguel e Inah se entreguem ao amor, eles terão de superar a si mesmos e a todo mal que o cercam para poderem viver o amor que os chama.

Esse romance nasceu pouco depois que publiquei “Segredos”, queria continuar falando sobre o sentimento mais bonito do mundo, o AMOR, e encontrei nesse casal a história certa para contar. Deixei de lado outras histórias para que Miguel e Inah tivesse suas vozes espalhadas. Espero que ao ler “Jardim de Rosas Azuis” vocês se emocionem, se divirtam e aprendam um pouquinho com cada personagem, e que no fim haja em seu coração uma sensação de felicidade que se espalha por todo corpo.

Desejo que essa história seja tão valiosa para vocês quanto é para mim, por isso resolvi postar o primeiro capítulo antes do prazo que tinha determinado, e se vocês gostarem continuarei postando capítulos com uma recorrência maior até o lançamento oficial em Julho. Até lá, não deixem de comentar e deixar suas opiniões.

Quer conhecer o original? Clica no LINK.

[Wattpad] Cartas para Romeu


Autora: Beatriz Meneghello
Status: Em andamento
Gênero: Romance
Sinopse: Juliet Montecchio é parecida com Romeu em muitos aspectos; a começar por seu sobrenome e a terminar com seu amor incondicional por seu namorado que, (in)felizmente, não é um Capuleto.
Em meio à brigas, intrigas e traições, a garota passa a deixar cartas destinadas ao personagem Shakespeariano no muro de sua antiga casa, em Roma.
Ela apenas não esperava que, no dia de seu aniversário, Romeu a responderia.


Se vocês, assim como eu, ama um romance arrebatador, então você provavelmente se sentirá atraído (a) pelo original de Beatriz, uma história que une o clássico e trágico romance “Romeu e Julieta” em uma adaptação moderna.
Minhas primeiras impressões do original são positivas, confesso que fiquei bastante interessada para ler e desvendar o que a autora pretende com a história. Além da protagonista que já é bastante evidenciada é possível já ter uma primeira impressão dos outros personagens através do capítulo onde a autora apresenta o booktrailer e os personagens com fichas divertidas. Tomei a liberdade de postar duas dessas fichas aqui para vocês conferirem:



O primeiro capítulo já começa com um belo trecho de uma carta, e logo em seguida somos apresentados a Juliet, que exala sua essência romântica. A escrita da autora segue perfeitamente essa característica romântica, tendo cuidado com os detalhes sutis e exaltando a personalidade da personagem que passa a ser narradora no segundo capítulo.
Eu vou adicionar o livro a minha lista, e acho que você também vai, então aqui vai o link do original e o perfil da autora:

E para te deixar ainda mais interessado pela história, dê uma espiada no book trailer e na playlist disponível no Spotify!



Beatriz, espero que essa divulgação faça com que muitas outras pessoas sejam cativadas pelo seu romance, e que sua Juliet tenha um destino tão sublime na história quanto como eu espero que o seu seja. Obrigada por confiar no blog para essa divulgação.
E se você já conhece o trabalho da autora não esqueça de deixar um comentário, e fiquem ligados, porque em breve sai a entrevista que a autora deu para o blog.

[Entrevista] Lia Maia




Nome: Lia Maia
Idade: 31 anos
Estado:  São Paulo
Livro (s) divulgado (s) no blog: 1 livro: Borboleta / 2 livro: Sollis

1 – Você escreve há quanto tempo?
Eu escrevo desde criança. Minhas primeiras redações eram histórias que eu contava para minha irmã.

2 – O hábito de leitura sempre esteve em seu cotidiano? Isso influenciou seu gosto pela escrita?
Eu comecei a ler mais na adolescência. Quando o fanatismo religioso levou meu pai a banir da nossa casa todo conteúdo que não era bíblico. Eu li muito a Bíblia porque era obrigada, mas também lia outras coisas que eu escondia. Na minha casa, ter um livro era tão proibido quanto portar drogas.


3 – Qual seu gênero favorito na hora de escrever, por quê?
Eu sempre acabo criando romances LGBT no meio de narrativas de ficção científica e fantástica e pra mim isso é imperativo. É que eu não aguento mais o formato “casal hétero lutando pelo amor”. Quando se é LGBT a luta pelo amor se mistura com a luta pela vida. E eu vivo essa realidade.
4 – Dos livros que já escreveu, qual foi o mais difícil?

O último: Sollis. Sempre acho que o mais difícil é o último.
5 – Você desenvolve algum tipo de relacionamento com seus personagens? O que você sente em relação a eles?
Eu amo todos os meus personagens, porque a empatia me faz entender os motivos de cada um deles, então eu sempre faço de tudo para evitar mortes e perdoar quando dá.

6 – Você está inserido em um ambiente em que é difícil conseguir reconhecimento, como você lida com isso? Acha que falta maior apoio entre autores iniciantes?
Eu acho muito triste a falta de apoio entre os escritores. Em grupos mais famosos no Facebook a atmosfera de competitividade é tão grande que chega a ser tóxica. Mas não há muito o que se fazer sobre isso.


7 – Você possui uma rotina de escrita?
Sim, mas eu não me imponho a isso. Eu simplesmente não consigo evitar. Eu acordo e preciso escrever. As vezes ligo o computador antes mesmo de ir ao banheiro.

8 – Qual autor (a) te inspirou a começar a escrever? Sua escrita se assemelha com a dele (a) de alguma maneira?
Eu adoraria dizer que minha escrita se parece com a da autora que me inspirou. Mas comparar meu trabalho com o de Marion Zimmer Bradley seria o cúmulo da falta de senso. Eu ainda preciso evoluir bastante pra chegar aos pés dela ou de Alan Poe, outro autor que me influenciou bastante na adolescência. (ah se meu pai soubesse disso...)

9 – Que gênero você jamais escreveria? Por quê?
Eu jamais escreveria fanfic, porque não entendo como aquilo funciona. Acho que eu acabaria mudando tanta coisa na história que no final teria criado uma coisa totalmente nova e que não lembrasse em nada a história base.

10 – Quais são seus livros já publicados?

Eu tenho Professor-Mãe de Autista, que é um apanhado de dicas para professoras e mãos que precisam lidar com crianças especiais. Também tenho Expurgo, que é uma distopia baseada numa São Paulo de 2035 e Mini Histórias de Revolta, que fala sobre a sensação que todo mundo tem de vez em quando. Esses livros estão na Amazon, alguns deles traduzidos para o inglês. E logo logo Sollis e Borboleta se juntarão a eles.
11 – Qual seu sonho como escritor (a)?
Meu sonho como escritora é não precisar discutir com as pessoas sobre o preço de um livro ou a gravidade da pirataria.

12 – De todos os seus personagens, qual deles mais se parece com você?
Por incrível que pareça, a Lolá é a minha cara. Exceto que eu não tenho uma mão de gancho, mas eu me vejo em tudo o que ela faz e fala.

13 – Por que você escreve? Já pensou em desistir?
Eu não conseguiria fazer outra coisa. Quando alguém me pergunta “por que você escreve?” Eu só consigo pensar: “Como eu poderia não escrever?”. Escrever é o que eu sou. Eu preciso contar o que eu penso. Eu preciso narrar o que eu imagino, e se eu não escrevesse eu seria muitissimamente infeliz. Nunca, eu jamais pensaria em desistir.

14 – Publicar uma história, independente da plataforma, é quase como um tiro no escuro, como se sente quando publica suas histórias?
Eu vejo isso como um dever. Eu acho que ter as histórias e mantê-las guardadas é quase irresponsável da minha parte. É como se eu fizesse um grande almoço e escondesse todas as panelas cheias de comida em algum secreto.
Histórias são alimentos, eu acho. E não se pode negar isso a ninguém.
15 – Seus livros possuem mensagens ou você quer apenas contar histórias sem se preocupar com uma “lição”?
Todos os meus livros possuem mensagens. De uma forma ou de outra meus personagens sempre transmitem alguma lição ou levantam algum questionamento sobre algo.

16 – Você já aprendeu algo enquanto dava vida a um personagem? E em relação a conhecimento gerais, já aprendeu muito enquanto pesquisava para suas histórias?
Sim! Ah como é bom falar sobre isso! Então, eu confesso que não curtia muito a ideia de veganismo e achava tudo uma besteira e etc, mas aprendi a entender a importância da ideia por causa de um personagem.
Maryl Céu é um darf, pertence uma espécie predadora de humanos, mas ele não. Maryl Céu era um vegano ativista, e não usava manteiga, tecidos feitos a base de pele ou cabelos, e eu amei aprender com ele. Não me tornei vegana, mas hoje entendo e acho a ideia de veganismo absurdamente necessária e empática.

17 – Qual sua relação com a representatividade na literatura?
Acho que a representatividade é a alma do conteúdo moderno. No futuro, os livros feitos para as pessoas reais serão os grandes clássicos.

18 – Você escuta música enquanto escreve? Se sim, quais seus artistas favoritos na hora de se inspirar?
Eu escuto um tipo de música para cada história que escrevo. Pra escrever Borboleta, por exemplo, eu ouvi muita música francesa contemporânea (eu sei que parece chique falando assim, mas nem é. Pesquisa a cantora Hoshi e o cantor Stromae que você vai entender o que eu tô falando).

19 – O que escrever significa para você?
Respirar.

20 – Fale um pouco sobre você (objetivos, faculdade, inspirações, etc.) e deixe uma mensagem para seus leitores:

Eu sou uma autora cansada da mesmice. Acho que essa ideia me define acima de tudo. E por mais que todo mundo imagine que criar histórias com personagens quadradinhos e dentro dos padrões de beleza seja o essencial, perceba que as grandes séries e os grandes filmes não estão mais fazendo isso.
Nós temos Tyrion Lannister como um dos melhores personagens construídos pra TV nos últimso tempos (a gente sabe que ele saiu dos livros, mas nem por isso ele foi higienizado para a HBO) e isso diz muito. Então eu sou essa pessoa. Eu quero criar coisas pra mim, pra minha filha, e pra você, que está lendo isso. E quero que você se sinta dentro das minhas histórias.
Então quando eu escrevo que “fulano é lindo” talvez algumas pessoas não concordem comigo logo de cara. Mas espera mais um pouco, vira mais uma página e conheça meu Ictar, meu Bernardo, Felps, minha Lolá e o resto da galera.
Você vai o quanto eles são lindos. Porque as pessoas são lindas. A gente só precisa virar mais uma página.
Abraços.
Lia Maia

[Wattpad] Borboleta





Autora: L_Ghost
Status: Completo
Gênero: Fantasia / Romance
Sinopse: Os sons deles estavam em toda parte, podia ouvi-los chiar, podia ouvi-los rir.
-Te peguei, sua malandrinha!
Felps guinchou de susto quando uma mão ossuda o agarrou pelo braço.
- Por favor...

As primeiras impressões da narrativa foram positivas, a autora convida seus leitores com cenas de ação e impactantes já nos primeiros momentos da narrativa, o que torna a leitura interessante. O romance banhado com muita fantasia faz reflexões sobre assuntos tabus, e retrata lindamente relacionamentos homoafetivos.

A escrita da autora é detalhista, com foco principalmente na perspectiva dos personagens. A criança que logo nos é apresentada no começo da história, Felps, está perdida e é encontrado por alguns estranhos que tentam descobrir de onde a criança veio e qual seu destino, então a narrativa inicial é a relação dos sentimentos e curiosidades dos envolvidos.

Se você gosta de um romance bem escrito, com temas complexos e com uma boa dose de fantasia, então você vai gostar de “Borboleta”, não deixe de conferir o perfil da autora para conhecer outras histórias, e não se esqueça de adicionar na sua lista de leituras.





Obrigada por participar do projeto, L_Ghost. Espero que essa divulgação contribua com o crescimento da sua história e que você continue fazendo muitas pessoas viverem grandes emoções com suas histórias.

[Livro] Auroras da Astrologia



Autora: Anne Presmanes
Status: Em andamento
Gênero: Romance
Sinopse: A insatisfação pessoal leva a três amigas acreditarem que a razão da fase ruim de suas vidas são por não haverem seguido as previsões do zodíaco. Com isso, elas decidem dar ouvidos aos astros e fazem uma viagem para o Norte espanhol, em busca de novas experiências, deixando que os cosmos manejem cada aurora.
Você acredita na astrologia?


Uma história para quem adora astrologia, mas também para quem gosta de dramas familiares, laços de amizade, superação, e um retrato da realidade da comunidade LGBTQ+. Isso e muito mais você encontra na trama de Anne Presmanes, “Auroras da Astrologia”.

Três amigas, cada uma com seus signos e marcas de personalidade, decidem sair em uma viagem para aliviar as tensões de seus problemas pessoas, uma em relação a um romance do passado, outra com a descoberta de que seu marido que não quer ser pai, tem um filho de antes de se casarem, e a última vive um momento de grande estresse ao estar desempregada cuidando da casa enquanto o marido parece desmerecer tudo o que faz.
Enquanto estão na viagem as pessoas que deixam para trás passam por momentos problemáticos, a família de Kira está quase entrando em colapso, seus filhos, cada um com seus signos e características escondem segredos preocupantes dela e do marido, por medo de não serem compreendidos. Enquanto o companheiro de Kátia tenta lidar com um filho que não sabia que tinha, e Johanna tenta superar um romance do passado se esquivando de outro que a persegue.
Autoras da Astrologia é um livro divertido, familiar, e que conta as facetas de famílias e pessoas vivendo conflitos reais, com os quais conseguimos nos identificar, conseguimos entender as personalidades e ainda não há aquele padrão obscuro dos signos, porque Anne sabe muito bem como humanizar seus personagens e fazer com que seus lados – bons e maus – sejam percebidos de forma natural.
Assim como outros livros da autora, este é narrado envolto em termos da cultura mexicana, expressões que dão ênfase ao cenário onde as personagens estão inseridas. Outro destaque para a obra são o poder feminino presente, o retrato da luta cotidiana das mulheres para conseguirem seus objetivos e ainda lidar com a parte emocional, que é tão intensa nas mulheres, sem deixar de mostrar os vários lados, onde nem todas são iguais, e cada uma tem sua peculiaridade em relação a sua visão de mundo.
O livro já esteve disponível na Amazon, e agora está sendo repostado no Wattpad, então se você quer se aventura nessa história não deixe de visitar o perfil da autora e conhecer a história das amigas que levam a sério o que os astros dizem!

[Wattpad] Sollis


Autora: L_Ghost
Status: Em andamento
Gênero: Fantasia / Romance
Sinopse: O surpreendente luxo Imperial, com seus motores e tecnologias, se depara com um perigo inesperado: Os piratas.
Com suas espadas e sede de sangue eles irão até as últimas consequências para conquistar um poder maior do que nenhum deles jamais sonhou: A máquina de voar.
Tudo isso em um cenário de aventura, romance e muitas reviravoltas.


Um romance gay ambientado no oceano em meio a navios e piratas vivendo grandes aventuras, grande é a aventura que a história começa com um homem prestes a ser lançado ao mar. Com capítulos curtos e muito bem escritos você começa a se afeiçoar pelos personagens rapidamente, personagens que são cativantes e com atitudes questionáveis em relação a sua conduta.
Uma história gostosa de ler, que envolve aventura, mistérios, um cenário sombrio e com a cara do que se espera de livros de piratas, e tudo isso consegui perceber nos primeiros capítulos da história, que deixa uma boa primeira impressão e uma vontade de não parar de ler.
Se você gosta de romance, aventura, mistério e principalmente de piratas, então que tal dar uma espiada no perfil da autora e conhecer a história?


Obrigada por participar do projeto, L_Ghost. Espero que essa divulgação contribua com o crescimento da sua história e que você continue fazendo muitas pessoas viverem grandes emoções com suas histórias.

Subir